As crianças negras vistas pela sociologia da infância no brasil: uma revisão de literatura

Míghian Danae Ferreira Nunes, Lajara Janaina Lopes Corrêa

Resumo


Este artigo analisa as dissertações e teses relacionadas as pesquisas sobre crianças negras e relações raciais através de levantamento realizado na base de dados da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD-ibicit), e em sites de congressos: Congresso de Pesquisadores Negros – COPENE, entre outros. Escolhemos os estudos com crianças de até seis anos de idade e catalogamos nesse levantamento as produções acadêmicas relacionadas ao tema que envolvem crianças negras e relações raciais, produzidas no Brasil a partir da década 1990 até o ano de 2015. A partir da pesquisa realizada, é possível afirmar que, ainda de maneira tímida, a junção destas áreas vem ganhando algum espaço, não sem tensão e crítica, críticas estas produzidas a partir de questões como a categoria idade, as relações de poder e a interseccionalidade.

 


Palavras-chave


criança negra, relações raciais, sociologia da infância.

Texto Completo:

PDF

Referências


Associação Brasileira de Pesquisadores Negros (ABPN). (2015). Congresso de Pesquisadores/as Negros/as – COPENE. Consultado em 20/12/2016, disponível em http://www.abpn.org.br/novo

Bicudo, V. & Maio, M. (Orgs.). (2010). Atitudes raciais de pretos e mulatos em São Paulo. São Paulo: Editora Sociologia e Política.

Barreto, R. (2012). Patrimônio cultural, infância e identidade no bairro do Bom Juá: Salvador - Bahia. Dissertação de Mestrado em Educação não publicada, Faculdade de Educação da Universidade Federal do Ceará, UFC.

Carvalho, M. (2004). O fracasso escolar de meninos e meninas: articulações entre gênero e cor/raça. Cadernos Pagu, 22, 247-290. Consultado em 20/12/2016, disponível em http://www.scielo.br/pdf/cpa/n22/n22a10.pdf

Cruz, A., Abramowicz, A. & Rodrigues, T. (2015). A pesquisa sobre criança e infância no Projeto UNESCO. Revista Eletrônica de Educação, 9 (2), 331-345. Consultado em: 20/12/2016, disponível em http://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/1213/413

Dornelles, L. (2014). Sobre raça, racismo, negritude e beleza: o que as crianças têm a dizer sobre esse tema? In E. Ghanem & M. G. Neira, Educação e Diversidade Cultural no Brasil: ensaios e práticas (pp. 193-218). Araraquara, SP: Junqueira&Marin.

Farias, A. (2016). “Loira você fica muito mais bonita”: relações entre crianças de uma EMEI da cidade de São Paulo e as representações étnico-raciais. Dissertação de Mestrado em Educação não publicada, Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, FEUSP.

FazzI, R. (2004). O drama racial de crianças brasileiras - socialização entre pares e preconceito. Belo Horizonte: Editora Autêntica.

Gandin, L., Diniz-Pereira, J. & Hypolito, A. (2002, agosto). Para além de uma educação multicultural: Teoria racial crítica, pedagogia culturalmente relevante e formação docente (Entrevista com a professora Gloria Ladson-Billings). Revista Educação e Sociedade, 23 (79), 275-295.

Ginsberg, A. (1955). Pesquisas sôbre as atitudes de um grupo de escolares de São Paulo em relação com as crianças de côr. In R. Bastide & F. Fernandes, Relações raciais entre brancos e negros em São Paulo (pp.311-361). São Paulo: Editora Anhembi/UNESCO.

Gomes, J. (2013). Os Segredos de Virgínia: Estudo de Atitudes Raciais em São Paulo (1945-1955). Tese de Doutorado em Antropologia Social não publicada, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, USP. Consultado em 20/12/2016, disponível em www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8134/tde.../2013_JanainaDamacenoGomes.pdf

Simpósio Luso-Brasileiro de Estudos da Criança II. (2013). Consultado em 15/11/2015, disponível em http://www.estudosdacrianca.com.br

Jovino, I. (2015). Crianças negras na história: Fontes e discursos sobre a breve infância permitida pelo escravismo oitocentista brasileiro. Revista Eletrônica de Educação, 9 (2), 189-225. Consultado em 20/12/2016, disponível em http://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/1167

Lopes, J., Vasconcelos, T. (2006, janeiro-junho). Geografia da infância: territorialidades infantis. Currículo sem Fronteiras, 6 (1), 103-127. Consultado em 20/12/2016, disponível em http://www.curriculosemfronteiras.org/vol6iss1articles/lop_vasc.pdf

Marchi, R. (2007). Os sentidos (paradoxais) da infância nas ciências sociais: um estudo de sociologia da infância crítica sobre a não-criança no Brasil. Tese de Doutorado em Sociologia Política não publicada, Centro de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC. Consultado em 20/12/2016, disponível em https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/90214

Nunes, M. (2015). Sociologia da infância, raça e etnografia: Intersecções possíveis para o estudo das infâncias brasileiras. Revista Eletrônica de Educação, 9 (2), 413-440. Consultado em 20/12/2016, disponível em http://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/viewFile/1115/417

Prado, R. (2014). Contexto social de emergência da ideia de participação e voz das crianças. In A participação de crianças em pesquisas brasileiras das ciências sociais e humanas (pp. 54-63). Tese de Doutorado em Psicologia escolar e do desenvolvimento humano, Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo.

Punch, S. (2016). Cross-world and cross-disciplinary dialogue: A more integrated, global approach to childhood studies. Global Studies of Childhood, 6 (3), 352–364. Consultado em 16/11/2016, disponível em http://gsc.sagepub.com/content/early/2016/08/21/2043610616665033.full.pdf+html

Rosemberg, F. (2006). Estatísticas Educacionais e Cor/Raça na Educação Infantil e no Ensino Fundamental: um balanço. Estudos em Avaliação Educacional. 17 (34), 15-42. Consultado em 20/12/2016, disponível em http://www.fcc.org.br/pesquisa/publicacoes/eae/arquivos/1284/1284.pdf

Rosemberg, F. (2007). Autodeclaração de cor e/ou raça entre escolares paulistanos(as). Cadernos de Pesquisa, 37 (132), 759-799. Consultado em 20/12/2016, disponível em http://www.scielo.br/pdf/cp/v37n132/a1237132.pdf

Rosemberg, F. & Pinto Pahim, R. (1997). Criança pequena e raça na PNAD 87. Textos FCC/DPE. Consultado em 20/12/2016, disponível em http://publicacoes.fcc.org.br/ojs/index.php/textosfcc/article/download/2429/2387

Souza, E. (2012). Percepções de infância de crianças negras por professoras de professoras de educação infantil. Dissertação de Mestrado em Educação não publicada, Faculdade de Educação da Universidade Federal de São Carlos, UFSCar. Consultado em 20/12/2016, disponível em https://www.repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/2627

Teles, C. (2012). Representações sociais sobre as crianças negras na educação infantil: mudanças e permanências a partir da prática pedagógica de uma professora. Dissertação de Mestrado em Educação não publicada, Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, FEUSP. Consultado em 20/12/2016, disponível em http:// www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/.../CAROLINA_DE_PAULA_TELES.pdf

Warde, M. (2007, janeiro-junho). Repensando os estudos sociais de história da infância no Brasil. PERSPECTIVA, 25 (1), 21-39. Consultado em 15/11/2016, disponível em https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/article/download/1495/1209




DOI: http://dx.doi.org/10.17346/se.vol21.231

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 License.

e-ISSN 1647-2144 | Periodicidade semestral |Creative Commons Attribution (BY-NC-SA 4.0) | ESE de Paula Frassinetti | Apoio 

Indexação: DOAJ | ERIHPLUS | LatindexMIAR |QOAM |QualisCapes | Genamics JournalSeek |InfoBase Index | REDIB | Google Scholar Metrics (GSMIndex Copernicus International|SJIF Journal Rank|OpenAire | OEI|Open Science Directory | ROAD | Crossref |Copac (Reino Unido)|Ulrich's Periodicals DirectorySUDOC (França)OAIster |RCAAP |OpenAire