Dimensão Relacional na Educação Social: contribuições da psicanálise para a sua compreensão e manejo / Relational Dimension in Social Education: contributions of psychoanalysis to its understanding and management

Patrícia Junqueira Grandino

Resumo


Este trabalho resgata as práticas de Educação Social que surgiram pelas mãos de educadores sociais na década de 1980, destacando a dimensão relacional, com a valorização da formação de vínculos de confiança e com a construção de relações horizontais entre educadores e educandos. A partir disso, esclarece alguns processos à luz da psicanálise e reflete sobre contribuições dessa disciplina ao campo da educação social.

 

 


Palavras-chave


Educação social; crianças e adolescentes; psicanálise

Texto Completo:

PDF

Referências


Bleger, J. (2011). Temas de Psicologia, Entrevistas e Grupos (4ª ed.). São Paulo: Martins Fontes.

Boff, L. (Org). (1996). A Teologia da Libertação Balanços e Perspectivas. São Paulo: Ática.

Doimo, A. M. (1986). Os rumos dos movimentos sociais nos caminhos da religiosidade. In P. Krischke & S. Mainwaring (Orgs.), A Igreja nas bases em tempo de transição. Porto Alegre: L&PM/CEDEC.

Freire, P. (2005). Pedagogia do Oprimido, (50ª ed.). Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Freire, P. (2011). Educação como Prática da Liberdade, (34ª ed.). Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Gohn,M.(2006). Teorias dos Movimentos Sociais: paradigmas clássicos e contemporâneos. São Paulo: Ed. Loyola.

Grandino, P. (1999). O Educador de Rua e suas Práticas Educativas. Dissertação de mestrado apresentada à Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo.

Grandino, P. (2012). Estatuto da criança e do adolescente: o sentido da Lei para as relações intergeracionais. Disponível em http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Etica/12_junqueira.pdf

Kupfer, M. (2007). Educação para o futuro: psicanálise e educação. São Paulo: Editora Escuta.

Machado, E. (2007). A Pedagogia Social: diálogos e fronteiras com a educação não-formal e educação sócio-comunitária. Revista de Ciências da Educação, 9(16).

Nóbrega, L. (1988). CEBs e Educação Popular. Petrópolis: Editora Vozes.

Nóvoa, A. (1999). Os professores na virada do Milênio: do excesso dos discursos à pobreza das práticas. Educação e Pesquisa, 25 (1).

Pichon-rivière, E. (2007). Teoria do Vínculo. São Paulo: Ed. Martins Fontes.

Quinet, A. (2000). A Descoberta do Inconsciente. Do desejo ao sintoma. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora.

Quinet, A. (2002). As 4+1 condições da análise. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora.

Rizzini, I. & Rizzini, I. (1991). “Menores” institucionalizados e meninos de rua: os grandes temas de pesquisa na década de oitenta. In UNICEF & FALCSO, O trabalho e a rua: crianças e adolescentes no Brasil urbano dos anos 80. São Paulo: Cortez.

Schön, D. (2003). Educando o Profissional Reflexivo. Porto Alegre: Artmed.




DOI: http://dx.doi.org/10.17346/se.vol22.272

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 License.

e-ISSN 1647-2144 | Periodicidade semestral | ESE de Paula Frassinetti | Apoio 

Indexação: CIRC | DOAJ | ERIH PLUS | Latindex  | MIAR |QOAM | QualisCapes | Genamics JournalSeek |InfoBase Index