Construção de um território inclusivo na Região Centro de Portugal: do diagnóstico às estratégias de intervenção na educação especial/ Building an inclusive territory in the Central Region of Portugal: from diagnosis to intervention strategies in special

Liliana Paredes, Mafalda Frias, Luís Alcoforado, Marcelino Pereira, A. M. Rochette Cordeiro

Resumo


Data de submissão: 1/11/2017 Data de aceitação: 12/12/2017

Atendendo à importância que a educação especial apresenta na construção de um plano estratégico educativo de cariz municipal, este projeto assumiu-se como o ponto de partida para a conceção de um novo “edifício” de educação inclusiva de características locais. Como objetivos centrais do estudo destacam-se: o levantamento dos alunos com necessidades educativas especiais de um município da Região Centro de Portugal e a construção de respostas educativas que fomentem a equidade e contribuam para o sucesso escolar dos alunos, bem como para a transição para a vida ativa. Este trabalho foi operacionalizado através de um inquérito por questionário e da realização de um focus group. Teve como resultado a criação de uma base de dados municipal dos alunos com NEE e do projeto “Escola Inclusiva”.

Building an inclusive territory in the Central Region of Portugal: from diagnosis to intervention strategies in special

Given the importance of special education when setting up a municipal-based strategic educational plan, this work is the starting point for defining a new inclusive education “plan”. The key goals of this study are: prepare a survey to identify the students with special education needs in a municipality of the Central Region of Portugal and provide educational responses that encourage equity and contribute to educational success and their transition to working life. Given the specificity of this work, we implemented a questionnaire survey and a focus group. We were thus able to create a municipal database of all students with special education needs and the “Inclusive School” project.

Keywords: special education, inclusive school, educational success, transition to working life, strategic planning


Palavras-chave


educação especial, escola inclusiva, sucesso escolar, transição para a vida ativa, planeamento estratégico

Texto Completo:

PDF

Referências


Ainscow, M. (2005). Understanding the development of inclusive education system. Electronic Journal of Research in Educational Psychology, 3 (3), 5-20.

Ainscow, M. & César, M. (2006). Inclusive education tem years after Salamanca: setting the agenda. European Journal of Psychology of Education, 21 (3), 231-238.

Almeida, A. & Rodrigues, D. (2006). A percepção dos professores do 1º CEB e educadores de infância sobre valores inclusivos e as suas práticas. In Investigação em Educação Inclusiva (pp. 17-43). Lisboa: Faculdade de Motricidade Humana.

Almeida, I. (2015). Participação de alunos com NEE nas Atividades Coletivas da Escola de Ensino Regular. Dissertação de Mestrado em Psicologia, Especialidade em Psicologia Educacional não publicada, ISPA – Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida, Lisboa.

Avramidis, E., Norwich, B. (2002). Teachers attitudes towards integration/inclusion: a review of the literature. European Journal of Special Needs Education, 17 (2), 129-148.

Becker, H., Roberts, G., Dumas, S. (2000). The inclusion inventory: a tool to assess perceptions of the implementation of inclusive educational practices. Special Services in the Schools, 16 (1), 57-72.

Capucha, L., Nogueira, J. M. (2014). A Educação Especial em Portugal, os Últimos 40 Anos, In 40 Anos de Políticas de Educação em Portugal. Volume I. A Construção do Sistema Democrático de Ensino (pp. 499-533), Coimbra: Edições Almedina, SA.

César, M. (2003). A escola inclusiva enquanto espaço-tempo de diálogo de todos e para todos. In Perspectivas sobre inclusão: da educação à sociedade (pp. 117-149). Porto: Porto Editora.

Correia, L. (2008). Inclusão e Necessidades Educativas Especiais. Um guia para Educadores e Professores. Porto: Porto Editora.

Correia, M., Martins, L. (2000). Uma Escola para Todos. Atitudes dos Professores Perante a Inclusão. Revista Inclusão, 1, 15-29.

Costa, A., Leitão, F., Morgado, J., Pinto, J. (2006). Promoção da educação inclusiva em Portugal: fundamentos e sugestões. Consultado em 23/11/2017, disponível em http://redeinclusao.web.ua.pt/docstation/com_docstation/21/fl_45.pdf.

Engelbrecht, P. (2006). Inclusive education in south Africa after Salamanca: Celebrating tem years of democracy. European Journal of Psychology of Education, 21 (3), 253-264.

Felgueiras, I. (1994). As crianças com necessidades educativas especiais. Como as educar? Inovação, 7 (1), 23-35.

Fisher, D., Roach, V., Frey, N. (2002). Examining the general programmatic benefits of inclusive schools. International Journal of Inclusive Education, 6 (1), 63-78.

Forlin, C. (2006). Inclusive Education in Australia Ten Years aflter Salamanca. European Journal of Psychology of Education, 21 (3), 265-277.

Freire, S. (2008). Um olhar sobre a inclusão. Revista da Educação, 16 (8), 5-20.

Glat, R. (2004). Uma família presente e participativa: o papel da família no desenvolvimento e inclusão social da pessoa com necessidades especiais. Anais do 9º Congresso Estadual das APAEs de Minas Gerais. Consultado em 15/11/2017, disponível em http://www.eduinclusivapesq-uerj.pro.br/livros_artigos/pdf/familia.pdf.

Nações Unidas. Secretariado Nacional para a Reabilitação e integração das Pessoas com Deficiência. (1995). Normas sobre igualdade de oportunidades para Pessoas com deficiência. Cadernos SNR (3). Consultado em 20/10/2017, disponível em http://www.inr.pt/uploads/docs/Edicoes/Cadernos/Caderno003.pdf.

OMS. Direção Geral de Saúde (2004). Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde. Consultado em 02/02/2017, disponível em http://www.inr.pt/uploads/docs/cif/CIF_port_%202004.pdf.

Perrenoud, Ph. (2001). A Pedagogia na Escola das Diferenças. Fragmentos de uma sociologia do fracasso. Porto Alegre: Artmed Editora (trad. en portugais de La pédagogie à l'école des différences. Fragments d'une sociologie de l'échec. Paris : ESF, 1996, 2. Éd.).

Reis, V. (2012). O envolvimento da família na educação de crianças com necessidades educativas especiais. Dissertação de Mestrado em Ciências da Educação na Especialidade em Domínio Cognitivo-Motor não publicada, Escola Superior de Educação João de Deus, Lisboa.

Rodrigues, D. (2000). O paradigma da educação inclusiva: reflexão sobre uma agenda possível. Revista Inclusão, 1, 7-13.

Rodrigues, D. (2003). Educação Inclusiva – As Boas e as Más Notícias. In Perspectivas sobre a Inclusão – Da Educação à Sociedade (pp. 89‑101). Porto: Porto Editora

Rodrigues, D. (2006). Inclusão e educação: Doze olhares sobre a educação. São Paulo: Summus.

Silva, M. (2009). Educação Inclusiva - um novo paradigma de escola. Revista Lusófona de Educação, 19, 119-134.




DOI: http://dx.doi.org/10.17346/se.vol23.294

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 License.

e-ISSN 1647-2144 | Periodicidade semestral |Creative Commons Attribution (BY-NC-SA 4.0) | ESE de Paula Frassinetti | Apoio 

Indexação: DOAJ | ERIH PLUS | Latindex  | MIAR |QOAM | QualisCapes | Genamics JournalSeek |InfoBase Index | REDIB | Google Scholar Metrics (GSMICI Journals Master List database|SJIF Journal Rank|OpenAire