Mídia televisiva, desenvolvimento sócio-afetivo e estilo de vida de crianças do ensino fundamental
Television media, socio-affective development, and lifestyle in children at elementary school

Regiane da Silva Macuch, Janayna Cristina Rocha, Bruna Rafaele Milhorini Greinert, Leticia Fleig Dal Forno, Rute Grossi Milani

Resumo


Considerando que as novelas participam no espaço doméstico familiar quase como um membro da família e que ocupam o escasso tempo livre que poderia ser usado para promover o diálogo, o objetivo deste estudo foi descrever os hábitos da criança em relação à televisão e o que os pais consideram sobre isto. O intuito foi avaliar os possíveis impactos no estilo de vida e no desenvolvimento sócio afetivo de crianças que cursam o Ensino Fundamental. Pesquisa quantitativa e exploratória, da qual, participaram 52 crianças e seus respectivos pais, de escola particular e pública, cursando o 1º e 3º ano do ensino fundamental, com idade entre 6 e 10 anos. Os resultados obtidos com a pesquisa demonstram que a maior parte das crianças assistem novelas e reconhecem alguma influência da mesma em seu jeito de vestir e falar. Quanto aos pais, notou-se uma tendência dos discursos serem mais restritivos e de não aceitação do que era transmitido pelas novelas, embora reconhecessem que os filhos assistem tais programas. Constatou-se a necessidade em se promover uma “Educação para Mídia” nas escolas, aos pais, professores e crianças, a fim de que se possa desenvolver capacidades para avaliar criticamente os conteúdos veiculados por diferentes mídias.

Television media, socio-affective development, and lifestyle in children at elementary school

Soap operas are present at some homes almost as an extended family member, at times occupying space which otherwise would be dedicated to conversation and family interaction. In this study, we describe the habits of children in regard to their television exposure, as well as parents' perception of that same exposure. Our goal is to assess the possible impacts that TV exposure might have in the lifestyle and socio-affective development of elementary school-aged children. Our sample includes 52 children, aged between 6 and 10, attending both public and private schools, across all elementary school grades. Our results show that most children watch soap operas and acknowledge influence therefrom in their way of dressing and talking. As far as parents are concerned, their narratives are more restrictive and point to non-acceptance of the content transmitted by soap operas, although they also recognize that their children watch such television shows. We argue that it is necessary to “promote education for media” at school, among parents, teachers, and children alike, such that all these groups can acquire the skills to critically assess the content made available by different types of media.

KEYWORDS: Promote education for media; Violence; Parents and Childs.

 


Palavras-chave


Educação para a Mídia, Violência, Pais e Filhos

Texto Completo:

PDF

Referências


Agência Brasil. (2016). Celular é principal meio de acesso à internet no Brasil, mostra IBGE. Rio de Janeiro, abril, 2016. Disponível em:

. Acesso em: 03/09/2016.

Ariés, P. (1981) História Social da Criança e da Família. Rio de Janeiro: LTC.

Bee, H. (2003). A criança em desenvolvimento. Porto Alegre: Artmed.

Brasil. (2012). Ministério da Justiça. Secretaria Nacional de Justiça. Departamento de Justiça, classificação, títulos e qualificação. Guia Prático classificação indicativa. Brasilia, 2012. Disponível em: . Acesso em: 25/08/2016.

Brasil. (2012). Ministério do Meio Ambiente. Consumismo Infantil: na contramão da sustentabilidade. Brasília, 2012. Disponível em: http://criancaeconsumo.org.br/wp-content/uploads/2014/05/Consumismo-Infantil.pdf . Acesso em: 16/06/2018.

Cole, M. (2003). O desenvolvimento da criança e do adolescente. Porto Alegre : Artmed.

Contrera, M. S.; Schiavo, S. F. (2017). Exposição de crianças à mídia eletrônica e processos miméticos. Comunicação & Inovação. PPGCOM/USCS, v. 18, n. 38, 33-45. Disponível em:

. Acesso em: 04/12/2017.

Contrera, M. S. (2002). Mídia e Pânico: saturação da informação, violência e crise cultural na mídia. São Paulo: Annablume: Fapesp.

Ferreira, D. C. R. R.; oliveira, M. R. F. (2016). XI SEMINÁRIO DE PESQUISA EM CIÊNCIAS HUMANAS – SEPECH Humanidades, Estado e desafios didático-científicos, Londrina, PR, 27 a 29 de julho de 2016.

Hernandes, N.. (2006). A mídia e seus truques: o que jornal, revista, TV, rádio e internet fazem para captar e manter a atenção do público. São Paulo: Contexto.

Linn, S. (2006). Crianças do consumo: a infância roubada. São Paulo: Instituto Alana.

Instituto Alana. Consumismo infantil, um problema de todos. Disponível em: http://criancaeconsumo.org.br/consumismo-infantil/. Acesso 17/06/2018.

Miguel, T. P.; Contino, A. L. B. (2013). A influência da televisão sobre o comportamento psicossocial de crianças. Revista científica da faminas, V. 9, N. 1, 2.

Mussen, P. H.; Conger, J. J.; Kagam, J. (1988). Desenvolvimento e Personalidade da Criança. Sao Paulo: Harbra.

Oliveira, D. M. S.; Morais, A. (2016). Conflitos interpessoais e desenho animado: Um estudo sobre os estilos de resolução predominantes. Psicologia Argumento, v. 32, n. 84, 01-04.

Papalia, D. E. (2013). Desenvolvimento humano. Porto Alegre: AMGH, 2013.

Parry, R. (2012). A Ascensão da Mídia: A História dos Meios de Comunicação de Gilgamesh ao Google. Rio de Janeiro: Elsevier.

Pontes, A. (2005). Infância, Cultura e Mídia. São Paulo: Zouk.

Rodrigues, W. C. (2006). Metodologia científica. São Paulo: Avercamp.

Rondini, L.. (2013). Homem assiste mais novela do que futebol. Os programas mais vistos na TV aberta em 2013, Edhy Marketing 2013, Disponível em: acesso em: 26/11/2017.

Sá, L. R.; Sousa, C. V.; Lara, J. E.; Fagundes, A. F. A.; Sampaio, D. O. (2012). O Consumidor Infantil e sua Influência no Processo de Decisão de Compra da Família. Revista INTERFACE, v. 9, n. 2.

Silva, M. D. S.; Aguilera, F. (2015). A influência dos desenhos animados no comportamento de crianças ao brincar – uma revisão. Revista Lugares de Educação [RLE], Bananeiras-PB, v. 5, n. 11, 104-117. Disponível em:

.Acesso em: 24/11/ 2017.

Spaniol, A. M. (2014). Influência da publicidade de alimentos sobre a escolha alimentar de crianças e adolescentes de escolas públicas do Distrito Federal. 168 f., il. Dissertação (Mestrado em Nutrição Humana).Universidade de Brasília, Brasília, 2014

Weber, T. B. B.; Francisco-Maffezzolli, E. C. (2016) Mídia, Consumo e a Adultização de Crianças: Uma Reflexão Macrossocial. Atas do XVII Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sul, Curitiba, PR, 26 a 28/05/2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.17346/se.vol25.307

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 License.

e-ISSN 1647-2144 | Periodicidade semestral |Creative Commons Attribution (BY-NC-SA 4.0) | ESE de Paula Frassinetti | Apoio 

Indexação: DOAJ | ERIH PLUS | Latindex  | MIAR |QOAM | QualisCapes | Genamics JournalSeek |InfoBase Index | REDIB | Google Scholar Metrics (GSMICI Journals Master List database|SJIF Journal Rank|OpenAire |Organización de Estados Iberoamericanos para la Educación, la Ciencia y la Cultura (OEI)