A Sociedade Digital: a redefinição da escola, do papel do professor e do aluno
The Digital Society: the redefinition of the school, the role of the teacher and the student

Natália Moura Lopes

Resumo


Perante a atual sociedade da informação é impossível manter a escola distante das novas tecnologias, já que estas podem oferecer-lhe um vasto leque de possibilidades quer para os professores, quer para os alunos. Os novos instrumentos tecnológicos proporcionam uma aprendizagem mais interativa, criativa e uma construção coletiva do conhecimento. O interesse por este tema surgiu depois de se ter constatado que apesar dos professores fazerem formação no âmbito das Tecnologias de Informação e de Comunicação – TIC- (Lopes, 2015), muitos ainda não as deixam entrar nas suas salas de aula. O objetivo central deste artigo é, portanto refletir sobre o novo papel da escola, do professor e do aluno diante do uso das novas tecnologias, em prol de um melhor ensino e aprendizagem.

Palavras-chave: Novas Tecnologias – Professor – Aluno- Prática Pedagógica

Given the current information society, it is impossible to keep the school away from new technologies, since they can offer a wide range of possibilities for both teachers and students. The new technological tools provide a more interactive and creative learning and a collective construction of knowledge. The interest in this topic arose after it was found that although teachers do training in ICT, many still do not let them enter in their classrooms. The main aim of this article is, therefore, to reflect on the new role of the school, of the teacher and of the student towards new technologies for better teaching and learning. Keywords: New Technologies - Teacher - Student - Pedagogical Practice


Palavras-chave


Novas Tecnologias, Professor – Aluno- Prática Pedagógica

Texto Completo:

PDF

Referências


Abreu, L. (2001). Da voz à tela: a nova linguagem docente. In

Congresso Brasileiro de Comunicação, 24 (p. 178). Campo Grande, MS

Almeida, M. & Valente, J. (2011). Tecnologias

e Currículo: trajetórias convergentes ou divergentes. São Paulo: Paullus.

Abreu, L. (2002). Mediação e emoção: A arte na aprendizagem.

In Congresso Brasileiro de Comunicação, 25 (p. 125). Salvador.

Almeida, M. E. (2000). Informática e Formação de Professores. ProInfoMinistério da Educação (vol. 1 e 2). Brasília: Secretaria de Educação à Distância.

Bastos, A. M. (2011). A Utilização da Tecnologia Educativa pelos Professores do 1º Ciclo do Concelho de Vila Real: Os Desafios para uma Escola Informada. Tese de

doutoramento apresentada à Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Vila Real.

Freire, P. (1996). Pedagogia da Autonomia: Saberes Necessários à Prática Educativa. Rio de Janeiro: Paz e terra.

Gomes, A., Escola, J. & Raposo-Rivas, M. (2016). As TIC na escola e um novo paradigma pedagógico. In Experiências de Investigação e Intervenção Educativa com

TIC (pp.11-22). Vigo: Procompal Publicaciones.

Haguenauer, C. (2012). Metodologias e estratégias na Educação à Distância. Disponível em http://www.gestaoelideranca.com.br/educação/principal/

conteudo.asp?id=3872

Jonassen, D. (2007). Computadores Ferramentas Cognitivas. Desenvolver o pensamento crítico nas escolas. Porto: Porto Editora.

Kenski, V. (2013). Educação e Tecnologias: o novo ritmo da Informação. Campinas, SP: Papirus.

Lopes, N. (2015). Quadro Interativo Multimédia: A Nova Janela para a aprendizagem no Ensino Básico – presença, usos e metodologias no Norte de Portugal. Tese de Doutoramento apresentada à Universidade de Trás-os-Montes e Alto

Douro.Vila Real.

Lopes, N., Escola, J. & Raposo Rivas, M. (2015). Caminho da

formação em QIM até à Inovação Educativa. In Investigação e Inovação no domínio das TIC no Ensino (pp. 121- 130). Ourense: Editorial Auria.

Mcluhan, M. (1964). Understanding Media: the extensions of man. Boston: MIT Press.

Narcy-Combes, J.-P. (2005). Didactique des langues et TIC : Vers une recherche-action responsable. Paris, France: Ophrys.

Ponte, J. P. (2001). Tecnologias de informação e comunicação na formação de professores: que desafios para a comunidade educativa? In A. Estrela & J. Ferreira

(orgs). Actas do X Colóquio da Secção Portuguesa da AFIRSE/AIPELF. Lisboa:Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Lisboa.

Pozo, J. (2002). Aprendizes e mestres: a nova cultura da aprendizagem. Porto Alegre: Artmed.

Sancho, J. (2006).Tecnologias para Transformar a Educação. Porto Alegre: Artmed.

Silva, B. (1999). Questionar os fundamentalismos tecnológicos:

tecnofobia versus tecnolatria. In Paulo Dias & C. V. Freitas (Eds.), Desafios 99, (pp. 73-89). Braga:Centro de Competência Nónio Século XXI da Universidade do Minho.

Silva, M., Pesce, L. & Zuin, A. (2010). Educação online: cenário, formação e questões didático-metodológicas. Rio de Janeiro: Walk.

Vilatte, J. (2005). E- Learning na Universidade do Porto caso de Estudo: Físicados Sistemas Dinâmicos 2004/2005. II Workshop E- learning da Universidade do Porto.

Weiler, L. (2006). A Educação e a sociedade atual frente às novas tecnologias.Disponível em

http://jararaca.ufsm.br/websites/l&c/download/Artigos/L&C_1S_06/LaraL&C2006.pdf




DOI: http://dx.doi.org/10.17346/se.vol25.320

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 License.

e-ISSN 1647-2144 | Periodicidade semestral |Creative Commons Attribution (BY-NC-SA 4.0) | ESE de Paula Frassinetti | Apoio 

Indexação: DOAJ | ERIH PLUS | Latindex  | MIAR |QOAM | QualisCapes | Genamics JournalSeek |InfoBase Index | REDIB | Google Scholar Metrics (GSMICI Journals Master List database|SJIF Journal Rank|OpenAire |Organización de Estados Iberoamericanos para la Educación, la Ciencia y la Cultura (OEI)